Logo Macabre Ícone

Macabre

Versão DEMO Grátis para testar
51.76 MB
Funciona em: Windows
XP/Vista/7/8/8.1/10
Adicionado em : 23/07/2015 MOCBJ Software
Baixar Download Seguro
Verificado com Antivírus

O que estão falando…

Já usou? Avalie! +0 Avaliações - Seja o primeiro a avaliar o produto!

Descrição

Paulo Guilherme
Os mistérios de um mundo em ruínas são resolvidos neste RPG clássico pós-apocalíptico

Macabre é um game de RPG clássico ambientado em um mundo medieval pós-apocalíptico. Na aventura, você encarna Fred Rubaine, um guerreiro sem parte de sua memória que embarca em uma jornada para salvar o planeta após um cataclisma criar gigantescas crateras no mundo e liberar monstros pela Terra.

Com tantas criaturas perigosas, não espere que seja tão fácil assim andar pelas planícies desse local devastado. Assim, em sua aventura, Fred terá que enfrentar hordas de monstros bizarros e distorcidos usando habilidades de batalha e poderes mágicos. Felizmente, ele também não está sozinho: com o avançar da história, novos aliados surgem para auxiliá-lo, adicionando à estratégia de suas batalhas em tempo real.

Não limitando-se à sua trama principal, Macabre também conta com uma série de missões paralelas que, como seu nome entrega, são completamente opcionais. Fazê-las, por sua vez, pode resultar em mais informações sobre a história e seus personagens, bem como experiência, dinheiro e itens. Mas fica a seu cargo decidir se as segue ou não.

Lutar ou não, eis a questão

Por mais que pareça um jogo de JRPG dos mais antigos – e, de fato, ele possua muito da jogabilidade clássica desses games –, Macabre traz uma série de mecânicas que vêm para modernizar a experiência. E isso quer dizer batalhas mais diretas, menos conflitos e outros elementos para que os fãs possam se concentrar em lutar ou seguir apenas a história, se assim desejarem.

Antes de tudo, é bom deixar bem claro que, como qualquer RPG clássico, Macabre utiliza um sistema com experiência e níveis, que, junto de sua habilidade e estratégia, definem o rumo das batalhas. Lutar, aliás, utiliza o conhecido método de ações em tempo real: embora haja uma enorme lista de poderes a serem usados, você não pode simplesmente ficar olhando as opções com calma, já que cada segundo sem agir é um ataque a menos feito por seu time.

Dito isso, o fato é que você nem mesmo precisa continuar batalhando, se não quiser: todas as batalhas podem ser evitadas assim que começam, sem penalidade alguma, simplesmente segurando a tecla Esc por alguns instantes.

Macabre

Quem quiser enfrentar batalhas, por outro lado, será recompensado com mais do que força extra para seu personagem. Isso porque, além de itens poderosos caírem aleatoriamente dos inimigos, você tem a opção de trazer mais adversários para enfrentar – com o bônus de dobrar a experiência ganha – ou deixar a área livre de inimigos para sempre. A escolha é sua.

De guerreiro a ferreiro e cozinheiro

Outro dos grandes destaques de Macabre é que ele abandona a obrigação de comprar itens e usar dinheiro para conseguir novos equipamentos ou melhorias. Para conseguir criar poções, comida, armas, armaduras e outros objetos, tudo de que você precisa é dos materiais adequados (estes, em boa parte, encontrados ao interagir com objetos do cenário) e de sua bigorna termal, entregue logo no início da aventura.

Assim como na maioria das mecânicas de criação de itens do gênero, utilizar essa ferramenta é simples: basta acessar a opção “Crafting”, disponível no menu principal do game, e escolher o que deseja fazer. É claro que você não vai poder simplesmente montar tudo o que quiser logo de cara – além da limitação dos materiais, o jogador precisa encontrar receitas espalhadas pelo mundo, escondidas em caixas, baús, estantes e outros lugares dos cenários.

Menu

Em busca de desafios e recompensas

Ainda falando em mecânicas novas, Macabre aposta em mais um elemento vindo diretamente da atualidade: conquistas. Pois é, você pode conseguir um enorme número delas ao realizar façanhas de todo o tipo – de coletar muitos materiais de um tipo, criar uma arma nova e achar relíquias raras até completar certa missão paralela ou limpar a área de inimigos.

É claro que você não vai simplesmente conseguir saber em detalhes o que fazer para conseguí-las – afinal, não tem graça ter a resposta de cara. No lugar disso, o game apenas traz dicas do que deve ser feito para alcançá-las; então o melhor é aproveitar isso para fazer de tudo o que parecer lógico ou não na aventura.

Para conferir quantas delas já foram liberadas, é só acessar a opção “Achievements”, dentro do menu principal.

Explorando

Controles

Setas direcionais: movimentam o personagem;

Tecla Enter: interagir;

Tecla Esc: cancelar comando, abrir menu, sair de batalha (quando mantido pressionado).

Para baixar a DEMO deste game, você precisa utilizar o Steam. Clique aqui e confira um tutorial com o processo a ser realizado.

Nossa Opinião sobre o Macabre

Para uma proposta interessante de um RPG clássico com elementos modernos, Macabre consegue errar feio em muitos elementos. Boa parte disso já é visível desde o início: seu visual, por exemplo, deixa muito a desejar em comparação mesmo aos gráficos simples de um game de RPG Maker, com um trabalho rústico e mal-acabado em sprites e texturas de cenários.

Se isso já é um ponto negativo dos piores para qualquer game, Macabre torna tudo ainda pior devido à sua péssima jogabilidade. Acredite, você sabe que deve esperar problemas na DEMO quando controlar a movimentação do personagem é algo incômodo, dada a velocidade exageradamente alta com que ele se desloca.

Ainda bem que há como evitar batalhas...

É quando as lutas começam que fica bem claro que a jogabilidade deste game está longe de como deveria. Basicamente, o sistema de ações em tempo real permite que inimigos comuns ataquem você de duas a três vezes antes de chegar a vez de seu protagonista; isso, é claro, dando golpes capazes de tirar quase toda a vida do herói.

Como resultado, Macabre nem de longe oferece batalhas estratégicas: você apenas vai memorizar a sequência de comandos para executar a cura em seu personagem e alternar a habilidade com o ataque que for mais rápido de executar. Fazer qualquer método diferente normalmente resulta em sua derrota.

A situação se torna ainda mais ridícula quando colocamos inimigos mais raros ou rápidos na briga. No início da DEMO, por exemplo, um único pássaro foi capaz de derrubar todo o grupo com uma sequência absurda de ataques assim que a batalha começou. E fim de história.

Boa parte disso, felizmente, pode se resolver com o avançar para os níveis mais altos e com um maior costume dos comandos, de maneira que ao fim da aventura isso não é tão incômodo assim. Até lá, porém, tenha a certeza de que vai morrer várias vezes de maneiras que parecem apenas injustas.

Nas batalhas, aliás, é que você vê que a desenvolvedora teve uma combinação espetacular de uma direção de arte horrenda com gráficos em pixelart de terceira categoria. Basta ver nossa galeria para ter uma ideia – um biscoito de gengibre gigante com esteroides? Uma serpente com corpo de águia e cabeça de pato? Um mangual gigante com pernas humanas? Não dá para engolir inimigos que parecem desenhados por um garoto de 10 anos...

Dito isso, não é como se Macabre não contasse com nenhuma mecânica interessante de jogo. A ideia de poder escolher entre aumentar a experiência ganha ou de deixar a área livre de inimigos é uma ótima pedida, assim como ocorre com a mecânica de sair de combates automaticamente com o toque de um botão ou de evoluir habilidades.

Nenhuma delas, contudo, ajuda a melhorar o cerne da experiência de lutar. Assim, o que deveria ser o ponto forte da aventura é, no fim das contas, um dos mais frustrantes, confusos, injustos e pouco divertidos de qualquer RPG clássico.

Quando não errar é o maior acerto

O único ponto que não se sai tão mal é a história do game – e mesmo assim não adianta esperar nenhuma obra-prima. Macabre oferece apenas uma trama suficiente para que você consiga prosseguir, com o que mais parece só outra desculpa clichê para seu protagonista salvar o mundo. Os personagens da aventura são interessantes, verossímeis e carismáticos, mas isso só impede a aventura de ser um completo fiasco.

Junto da trama, pode-se dizer que a música é outro ponto que não erra tão feio assim. Em resumo, Macabre traz uma biblioteca modesta, mas de qualidade razoável, quando falamos de sua trilha de fundo. O problema é que ela não combina em nada com o estilo de jogo, que pede temáticas épicas ou com uma proposta mais emocionante.

Ao menos, entre tantos pontos decepcionantes, não podemos dizer que a DEMO de Macabre é curta. De fato, ela dá uma enorme liberdade para que você explore absolutamente tudo o que quiser e conhecer boa parte daquele enorme universo. Não que você realmente vai encontrar motivos para querer fazer isso.

Com todas essas críticas, precisamos dizer que este título não vale a pena? Para ser o mais claro possível, digamos que Macabre faz jus ao seu nome – não pela trama assustadora ou os personagens malfeitos, mas pela execução tão ruim que vai fazer você ter calafrios sempre que jogá-lo.

Prós & Contras

Prós

  • Trama razoável
  • Personagens interessantes
  • Trilha sonora divertida
  • Mecânicas de criação de itens e de encontros randômicos melhoradas

Contras

  • Gráficos péssimos
  • Inimigos ridiculamente malfeitos
  • Jogabilidade péssima
  • Batalhas desequilibradas e injustas

Interesse ao longo do tempo

Compartilhe essa página

Avaliações sobre o Macabre

  • {{comentario.nome}} {{comentario.data}}
    {{comentario.nota}}
    Nota {{comentario.notaExtenso}}!
    Editar Avaliação