FET 5.23.2

FET

5.23.2

Programador de horários para instituições de ensino em geral Leve e simples, mas com muitas funcionalidades


DO MESMO DESENVOLVEDOR
Veja mais »

Leve e simples, mas com muitas funcionalidades e de fácil manuseio, o FET veio para substituir aquelas trabalhosas e desorganizadas planilhas de horários — geralmente feitas no Excel — de sua escola, colégio ou universidade.

Desde o nome da instituição até a sala onde será realizada determinada atividade, em um certo horário do dia tal, pela professora Rosinha, tudo pode ser programado.

No FET, é possível inserir e detalhar por quantos dias e horas é composta a jornada de trabalho (por exemplo: de segunda a sábado, 8 horas diárias, dispostas entre 9h e 18h, com pausa de 2 horas para o almoço, correspondentes entre 12h até 14h), listar por ordem alfabética todos os professores (incluindo suas respectivas matérias, conteúdos de aula, atividades e horários) e levantar estatísticas sobre eles, suas matérias e — como não poderia faltar — os alunos (isso mesmo, nem mesmo eles conseguem escapar dessa).

O FET facilita o controle sob os grupos, atividades extras e salas especiais a serem utilizadas.

Imagens do FET


Nossa opinião sobre o FET:

Escola lembra bagunça, que lembra bronca, que lembra professora de matemática, que lembra castigo, que lembra sala do diretor. E a sala do diretor é sempre organizada. Diretores têm que ser organizados.

Organização é tempo mais bem disposto, e o FET é essencialmente isso: organização, abrangendo as funcionalidades de qualquer escola, colégio ou universidade. Apesar de ter um design bem básico, é muito mais prático que aquela velha planilha do Excel!


SHOPPING BAIXAKI

Comentários (0)

  • Jayannye Gomes Barbosa Jayannye Gomes Barbosa   em 7/10/2010 - versão: 5.14.2

    É bom mesmo! Sou a direitora da ESCOLA TURMA DA EMÍLIA e adorei o programa! E é grátis!

  • Estela Humbete Estela Humbete   em 18/5/2009 - versão: 5.9.3

    É um pouco complicado até pegar o jeito, mas depois, tem todas as opções que a pessoa puder imaginar.

Ver todos os comentários »